Arquivo da tag: crianças

A hora e a vez da U.M.E. Antonio Ortega Domingues

Hoje, o espaço é para a redação vencedora na U.M.E. Antonio Ortega Domingues, da aluna Lyara Porto Sousa que contou com a colaboração de seu pai, José Jerônimo de Sousa, e teve a professora Emília como a responsável pelo trabalho:

Lyara com seus pais, durante passeio de barco, no encerramento do projeto, em 29 de novembro

“Da mesma forma que existe a campanha contra a dengue, deveria haver sobre a poluição, pois não podemos esquecer que ela também é uma doença.

Jogando lixo nos rios e mangues nós estamos matando os pássaros que lá se alimentam e os peixes que vivem no local.

Deveria haver palestras sobre poluição, para que as pessoas se conscientizassem de como toda essa sujeira faz mal para a humanidade.

Além disso, devemos preservar os rios e mangues mantendo sempre os mutirões de limpeza e campanhas com cartazes e anúncios na mídia.

Um bom trabalho de reciclagem em todos os municípios, também, diminuiria em grande parte a sujeira que acaba se acumulando.

A própria Secretaria do Meio Ambiente, em parceria com a Secretaria de Turismo, deveria incentivar a população local promovendo sempre passeios de barco ou, até mesmo, caminhadas frequentes, desde que bem divulgadas.”

Consciência e criatividade desde pequena. Parabéns pelas ótimas ideias!

Continuem acessando, comentando e divulgando esse espaço.

 Ainda falta a redação vencedora da escola Anchieta. Aguardem as novas atualizações!

Até…

Deixe um comentário

Arquivado em Dados do projeto, opinião

A redação vencedora na U.M.E. Rui Barbosa…

Dando sequência a série de postagens com as redações vencedoras nas cinco escolas que participaram do projeto Voluntários do rio, hoje, a atualização fica por conta da representante da U.M.E. Rui Barbosa, a aluna Nádia dos Santos Ribeiro Lima que contou com a colaboração de sua tia, Márcia Adriana Ribeiro da Silva, e teve a professora Maria Aparecida de Matos Firmino como responsável pelo trabalho:

Diversidades de belezas em meio ao mangue cubatense

“Em primeiro lugar, eu gostaria de dizer que, apesar dos meus 10 anos, consigo perceber o quanto a natureza está sofrendo e, principalmente, os nossos rios que são fundamentais para a nossa existência, porque se não tiver água limpa nós iremos morrer.

Na minha opinião, o que pode ser feito é uma conscientização à toda população, começando na escola, através de trabalhos escolares e outros envolvendo todos os alunos.

Os postos de saúde (UBS), também podem incentivar, promovendo palestras e distribuindo folhetos e cartazes, além de orientar através dos agentes de saúde, de casa em casa, que não devemos jogar sujeira nas ruas (papéis, papéis de bala, saquinho de salgadinho, garrafas plásticas, latinhas etc) e, principalmente, não jogar óleo de comida na pia, porque tudo isso prejudica a natureza.

É importante também que tenha propaganda no rádio e na televisão, pois só com bastante informação conseguiremos ajudar a natureza. Já as escolas deveriam promover pelo menos a cada três meses a coleta de lixo nos rios.”

Muitas ideias e sonhos que podem ser realizados. Só depende de nós!

Continuem acessando, comentando e divulgando esse espaço.

Ainda faltam duas redações vencedoras serem postadas, por isso, aguarde. Voltamos em breve com mais atualizações.

Até.

1 comentário

Arquivado em Dados do projeto, opinião

Mais uma do concurso de redação…

Hoje, o espaço é para a redação vencedora na U.M.E. João Ramalho, da aluna Beatriz Pereira Braga que contou com a colaboração de seus pais, Roberto Marcio Braga e Valquiria Alves Pereira, e teve a professora Ana Maria como responsável pelo trabalho:

Beatriz com sua família durante passeio de barco, no encerramento do projeto, em 29 de novembro

“Muita gente não sabe, mas Cubatão é uma cidade linda. Não tem praias, mas tem rios e mangues que merecem toda a nossa proteção. Infelizmente, algumas pessoas não percebem que sujando esses lugares estão provocando a destruição do meio ambiente. É preciso conservá-lo.

Para ajudar a preservar os rios e mangues de nossa querida Cubatão é necessário que a comunidade se conscientize de que eles são importantes para todos.

Quando o povo entender que nosso ecossistema local precisa de ajuda para não ser degradado, conseguiremos evitar tanta sujeira que se acumula nas margens dos rios e mangues de nossa cidade pela ação humana.

Nossa proposta é fazer com que os moradores do município passem a demonstrar cuidado com a natureza e se comprometam a preservar o manguezal.

Uma boa idéia é levar os alunos da rede pública a conhecerem os rios e mangues da cidade, para que desde pequenos, entendam que é feio destruir a natureza. É preciso, também, mobilizar a população em geral em prol desta causa ambiental de suma importância para o nosso município e o nosso país.

É uma oportunidade que temos para desenvolver diversas atividades juntos aos moradores das áreas próximas aos rios e mangues, orientando-os a cuidar dos mangues em favor da natureza.

Com a limpeza dos rios e mangues de nossa cidade através de um programa de conscientização e trabalho, isso será incentivo ao desenvolvimento do turismo ambiental.”     

Está aí, boas propostas e muita vontade de ver um meio ambiente melhor.

Continuem acessando, divulgando e comentando!!!

Em breve, as redações vencedoras nas outras três escolas.

Até a próxima.

Deixe um comentário

Arquivado em Dados do projeto, opinião

O que pensam as crianças cubatenses sobre a preservação do meio ambiente?

Mais importante do que mostrar o trabalho feito pelo Voluntários do rio com as crianças cubatenses é levar a todos o resultado do trabalho. Por isso, começo hoje uma série de postagens nesse blog com as redações vencedoras do concurso familiar realizado ao longo do projeto. 

Para começar, a redação vencedora na U.M.E. Padre Antonio Olivieri, da aluna Julia Espinheira dos Santos, que contou com a colaboração de sua mãe, Jadilene Espinheira Ramos e teve como professora responsável Milene Silva Pinheiro:

Área de mangue em Cubatão, próxima ao Porto da Cosipa.

“Era uma vez um menino chamado Rodrigo que gostava muito de nadar no rio. Um dia ele foi nadar, como de costume, e observou que o rio estava cheio de lixo.

Lá, ao invés de peixes estavam garrafas pets, plásticos e até um sofá. Ele ficou horrorizado com o que estava presenciando, ficou tão triste que chamou seu amigo Daniel para mostrar o tamanho do crime ambiental.

Foi quando Daniel sugeriu que eles recolhessem o lixo. Quando estavam recolhendo chegou um outro amigo chamado João e perguntou:

– Por que vocês estão recolhendo este lixo? Foram vocês que jogaram?

Então Daniel e Rodrigo responderam:

– Não, mas se cada cidadão fizesse um pouco, o mundo não estaria tão poluído!”

É isso, uma forma singela e criativa de dizer a todos que é preciso o trabalho de cada um para se ter um meio ambiente melhor.

Continuem acessando, divulgando e comentando!!!

Até a próxima.

1 comentário

Arquivado em Dados do projeto, opinião

Idealizador do Voluntários do rio faz balanço do projeto

Rolando Roebbelen, ambientalista, jornalista, membro do Conselho Comunitário Consultivo Carbocloro e idealizador do projeto Voluntários do rio faz balanço dos três meses de trabalho e projeta novidades para 2010.

Continuem acessando, comentando e divulgando esse espaço.

Em breve, confira na íntegra as redações vencedoras do concurso familiar realizado com os alunos das escolas municipais. Boa oportunidade para saber o que as crianças da cidade pensam sobre a preservação e o futuro do nosso meio ambiente

Deixe um comentário

Arquivado em artigos, Dados do projeto, opinião

Voluntários do Rio em sua reta final

Comissão avalia redações dos alunos cubatenses

Por Renato Silvestre

Após quase três meses de árduo trabalho, principalmente, de conscientização e educação ambiental voltada às crianças da rede municipal de ensino de Cubatão, o projeto Voluntários do Rio terá seu encerramento no próximo domingo, 29 de novembro, às 08h30.

O cenário para a divulgação dos vencedores do concurso de redação de cada escola participante será, mais uma vez, o Centro Ambiental Afonso Schmidt. Após a premiação dos alunos, haverá um passeio de barco pelos rios da cidade.

Próximas ações

As melhores redações foram escolhidas por uma comissão formada por membros do CCC e colaboradores da Carbocloro. Paralelamente, foram realizadas atividades lúdicas com as crianças, como o jogo Voluntários do Rio, desenvolvido em uma grande lona, onde os estudantes se tornaram as peças dessa brincadeira, que divertiu e instruiu ao mesmo tempo.

Durante toda essa semana, o CCC e a Carbocloro promovem ainda a coleta de lixo nos rios e mangues da cidade. Após o encerramento do Voluntários do Rio será desenvolvido um relatório com todos os resultados obtidos, além disso está em andamento a produção de mais uma edição do informativo CCC em Ação, que trará cobertura completa do projeto.

O Voluntários do Rio vai encerrando suas atividades esse ano, mas há promessa de muitas outras ações em breve. O importante é conscientização, que a pequena semente plantada pelo CCC e Carbocloro gere frutos e tenhamos um futuro muito mais limpo e saudável nos rios, mangues e comunidades cubatenses.

Em breve a divulgação das redações vencedoras, a cobertura do encerramento do projeto e um apanhado geral dos resultados obtidos.

 Continuem acessando, divulgando e comentando!

1 comentário

Arquivado em Dados do projeto, notícia

“Quase no quintal de casa” é bem avaliada ao final da semana de apresentações

Crianças assistiram atentamente as apresentações

Crianças assistiram atentamente as apresentações

Por Renato Silvestre

 

Ao som da banda Chico Science & Nação Zumbi – famosa por ter sido a precursora do Movimento Manguebit, que buscava popularizar a cultura regional pernambucana, mesclando essa a elementos da cultura pop mundial, no início dos anos 90 –, é dessa maneira que a peça “Quase no quintal de casa” se inicia.

Com perfil jovem e animado, o espetáculo teatral conta a história do caranguejo Caco, da guará Gilda, do mão pelada Luva e do garoto Naldo, que vivem paralelos intrigantes. Enquanto os animais buscam uma solução para melhorar o ambiente que vivem, Naldo precisa fazer um trabalho escolar sobre o mangue e os rios da cidade onde mora.

Os caminhos deles se cruzam quando os animais indignados resolvem entrar em contato com o menino, conscientizá-lo, e usá-lo como forma de propagação de uma busca coletiva pela melhoria daquele ecossistema. A história ainda traz a mãe e a namorada de Naldo, que dão um toque especial de humor ao espetáculo.

Buscando interação contínua com os espectadores, a peça, que foi levada a cerca de 800 alunos da 4ª série da rede municipal de ensino de Cubatão ao longo dessa última semana, teve um ótimo resultado, ao menos é o que garante o coordenador do Projeto Voluntários do Rio, o ambientalista, fotógrafo e membro do Conselho Comunitário Consultivo Carbocloro, Rolando Roebbelen. “Foi maravilhoso! Dá pra gente perceber exatamente o quanto é importante a educação. A garotada entendeu o recado, eles mostraram que gostam de teatro e entenderam, também, que é preciso limpar os manguezais e limpar a cidade como um todo”, analisou.

Para Roebbelen, as crianças poderão ajudar na conscientização dos pais e amigos. “Crianças dessa idade são extremamente receptivas, conseguem assimilar perfeitamente o recado, e dar sequência a idéia, que é o que, na realidade, o Voluntários do Rio pretende. Queremos que as crianças levem pra suas casas essa mensagem e que dividam com as suas famílias”, disse.

Para a aluna da 4ª série do ensino fundamental na U.M.E. Padre José de Anchieta, Taís Nogueira, 11 anos, a peça conseguiu levar uma mensagem positiva. “Achei muito legal a peça. Falou sobre o meio ambiente e a gente já está estudando muito sobre isso. Aprendi e nunca mais vou jogar lixo na rua”, afirmou.

Lucimere Cordeiro Magalhães, coordenadora pedagógica da escola, que recebeu a peça nessa sexta-feira (25/09), se mostrou contente e disse, também, acreditar no poder das crianças para a mudança de comportamento dos pais. “Eu fiquei super contente em receber o Voluntários do Rio, porque falar de meio ambiente é algo que está dentro do projeto da escola. As crianças são multiplicadores, o que eles aprendem na escola levam pra casa e passam para os pais. Com a situação que está hoje nos mangues, rios e praias, é nossa responsabilidade de mudar e é somente com a educação que se pode e se vai mudar”, finalizou.

 

Mais imagens da peça na próxima atualização.

Continuem acessando, comentando e divulgando esse espaço!

2 Comentários

Arquivado em Dados do projeto, notícia